Mobile

Xiaomi pode estar a desenvolver os seus próprios processadores para smartphones


Não é de hoje que empresas consideram fabricar os seus próprios processadores para evitar a dependência de terceiros. Há uma forte dependência da Qualcomm no segmento mais avançado, o que já está a trazer problemas, como a possível exclusividade do Snapdragon 835 para o Galaxy S8 até abril. A Xiaomi pode seguir nesse sentido, seguindo os passos da Huawei, que conta com a sua própria linha Kirin. O que podemos esperar?

Segundo o Wall Street Journal, há dois modelos previstos inicialmente, codinome “Pinecone“:

  • Pinecone V670: quad-core Cortex-A53 + GPU Mali T860 MP4, litografia de 28 nanómetros;
  • Pinecone V970: octa-core (Cortex-A53 + Cortex-A73) + GPU Mali T880, litografia de 10 nanómetros;

Como podemos ver, temos um processador intermediário e outro avançado, ainda que fique a dúvida se o V970 seja capaz de bater de frente com o Snapdragon 835, em especial pela GPU. Já o V670 seria equivalente ao Snapdragon 617 ou 625, dependendo do clock utilizado, tecnicamente capaz de atender modelos com mais custo-benefício. Caso sejam reais, poderiam resolver a dependência da Qualcomm, mas no médio prazo.

Projetar um chip próprio envolve um investimento considerável, além de um bom tempo de pesquisa. É difícil ver os dois processadores acima chegando oficialmente nos próximos meses. E, mesmo porque, o V970 não seria tecnicamente capaz de bater o Snapdragon 835. Este é resultado de vários anos de desenvolvimento por parte da Qualcomm, contando com núcleos e GPUs customizadas. De qualquer forma, é bom ver empresas a tentar quebrar a sua dependência de terceiros.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.