Videojogos

NES Classic Mini já foi crackada


Quem vem a acompanhar as novidades sobre o NES Classic Edition provavelmente sabe que a consola, embora extremamente cobiçada pelos fãs da Nintendo, foi bastante criticada por uma limitação: não é possível adicionar novos títulos além dos 30 que já vêm instalados no aparelho. Logo, não deve ser uma grande surpresa para ninguém descobrir que hackers já conseguiram encontrar uma maneira de acrescentar novas ROMs ao dispositivo, chegando a dobrar a biblioteca armazenada nele.

Como também não deve ser surpresa, a descoberta foi relatada em num fórum de modders na Rússia, através de um utilizador chamado madmonkey. Este simplesmente postou um guia completo de como adicionar as ROMs – sem a necessidade de fazer alterações mecânicas ou electrónicas no hardware do sistema. Basta ter um arquivo de save no espaço inicial do game Super Mario Bros. do seu mini NES.

Hakchi já até ganhou outras versões para permitir que gamers haqueiem as suas consolas

O processo em si consiste em utilizar uma ferramenta desenvolvida pelo próprio hacker chamada “hakchi” para sobrescrever a instalação do próprio NES Classic Edition com uma versão do sistema cheia de novos jogos. Para fazer isso, madmonkey afirma conectar a consola a um PC via cabo USB e então ligar o aparelho em “FEL” (um modo feito para programar dispositivos via USB).

Não demorou, por sua vez, para que novas versões dessa ferramenta surgissem trazendo uma experiência ainda mais simplificada. Um exemplo disso foi o “hakchi2”, que não solicitava o save de Super Mario Bros. e pedia apenas que você arrastasse as ROMs dentro do programa para fazer a instalação na consola.

Mas é seguro?

Antes que os donos de um NES Classic resolvam arriscar numa tentativa de ganhar mais jogos para o aparelho, é importante avisar que essa é uma ideia extremamente arriscada – para dizer o mínimo. O fato é que, desde o surgimento dessas ferramentas, várias pessoas que testaram o hack relataram que o seu sistema encontrou malwares dentro do software.

Seria esse o resultado de falsos positivos de alguns antivírus? Muitos afirmam que sim. Mesmo assim, considerando que estamos a falar de um aparelho raríssimo e extremamente valioso, pode não ser uma boa ideia colocar a sua consola em risco.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.